Skip to content

Formação em 21/06

junho 22, 2010

Mesmo com a proximidade do São João e o caos provocado pelas chuvas em Pernambuco, realizamos ontem mais uma rodada na formação dos multiplicadores do UCA. Já visualizamos com clareza os problemas que teremos que enfrentar e os resultados positivos que poderemos obter com a implantação do projeto. Discutimos as estratégias do material no e-Proinfo, o calendário de formação e tivemos a presença do Paulo André da OJE (Olimpíadas de Jogos Digitais e Educação) apresentando a proposta de jogos integrados ao currículo que é desenvolvida no Estado de Pernambuco. Embora a proposta esteja focada na competição entre as equipes de alunos da Rede Estadual, o portal permite várias outras ações dos professores e pode ter o seu uso potencializado pelo uso dos laptops em sala de aula. Várias escolas já estão com a rede implementada e o nosso desafio agora é encontrar um espaço no horários dos professores para realizar a formação. A grande notícia para os multiplicadores foi a oficialização de Caetés como UCA Total (uma ação do Programa UCA na qual os municípios chamados de “iluminados” são contemplados com laptops para todas as escolas). Avaliando o calendário do recesso das escolas e os contratempos com o período de greve no município de Recife, concluímos que a melhor data para dar continuidade ao curso de formação dos professores é a partir de 19 de julho. Para articular as ações, apresentamos aos multiplicadores o portal (que ainda está em desenvolvimento) com links para este blog, fórum, ambientes virtual etc. O nosso objetivo é que o portal seja um ponto de convergência dos multiplicadores e professores para compartilharmos as experiências, problemas, soluções, materiais etc. Resumindo: já estamos oficialmente na rede!

Formação dos Multiplicadores

junho 12, 2010

Iniciamos a formação dos multiplicadores (NTE/NTM) designados para o programa Um Computador por Aluno (UCA), em Pernambuco. A nossa estratégia inicial foi deixar que eles experimentassem o computador por uma hora, sem dicas ou orientações. A reação foi muito positiva, todos tinham uma expectativa bem menor e se surpreenderam com o “ukinha”. Discutimos os conteúdos da formação dos professores e a nossa estratégia de abordagem. Ficou claro para todos que a aproximação e sedução do professorado vai ser muito mais importante do que qualquer conteúdo formal. A grande vantagem em trabalhar com os multiplicadores, é que eles conhecem muito bem a realidade das escolas e a atitude dos professores diante da tecnologia, precisamos apenas conversar e trocar ideias. A introdução de tecnologia como sinônimo de acesso à informação envolve uma séria disputa de poder. O programa um computador por aluno envolve muito mais do que a imersão tecnológica, ele propõe uma mudança no poder porque os equipamentos estarão nas mãos dos alunos e não dos professores/gestores. Marcamos o nosso próximo encontro nos próximos quinze dias, com as seguintes tarefas para casa: estabelecer contato com as escolas para marcar uma grande reunião com os professores e analisar o material de formação disponível no portal do e-Proinfo.

Lançamento do Programa UCA em Pernambuco

junho 12, 2010

O lançamento do Programa Um Computador por Aluno (UCA/SEED/MEC) aconteceu no dia 07 de maio. em Pernambuco. A cerimônia de lançamento foi no auditório do Centro de Educação da UFPE, com a presença da Secretária de Educação do Estado, professora Zélia Porto. Estavam presentes representantes das secretarias de educação dos municípios participantes, gestores das escolas e multiplicadores dos NTE/NTM. Fizemos uma apresentação do UCA com o professor Paulo Gileno, e do sistema de avaliação do programa com a professora Kátia Cilene. O professor Sérgio Abranches (coordenador do UCA) conduziu os trabalhos e deixou um espaço para as dúvidas e questionamentos dos gestores e multiplicadores. Praticamente todas as escolas já receberam os computadores e a rede lógica está quase pronta. A gestora de Caetés colocou que os alunos já perceberam a movimentação dos técnicos de rede na escola e estão na maior expectativa com a chegada dos equipamentos. As colocações dos gestores foram muito importantes para repensarmos algumas ações do programa.  As realidades são muito distintas, definitivamente não é possível atochar um pacote pronto de formação. Surgiram questões variadas, por exemplo, o atendimento dos alunos de EJA, a recarga dos equipamentos, o uso do laptop na educação inclusiva, o trabalho em salas multiseriadas na escola rural etc. Na reunião com os multiplicadores, todos ficaram empolgados com a proposta de formação e acompanhamento do programa. Como disse o professor Paulo Gileno, este é o momento dos multiplicadores assumirem um papel fundamental no processo de inclusão digital nas escolas.